9 de setembro de 2011

Top 10 - Os Melhores Momentos de O Cerco

Após a Invasão Skrull, Norman Osborn, o outrora ensandecido rosto por trás da máscara do Duende Verde, assumiu o posto de secretário de segurança do governo e chefe da Organização conhecida como SHIELD, vaga anteriormente ocupada por Tony Stark, o Homem de Ferro. Sob suas ordens, foi instaurado um Reinado Sombrio, onde não havia espaço para monstros, justiceiros ou mutantes.

Osborn organizou sua própria equipe de Vingadores, formada quase que completamente por vilões reformados, além do deus da guerra Ares e do atormentado herói Sentinela. As equipes da Iniciativa criadas após os eventos da Guerra Civil para que jovens com superpoderes fossem treinados, foram tomadas, e novas regras começaram a ser estipuladas seguindo a visão deturpada de Osborn.

Influenciado pelo deus da trapaça Loki, que como resultado de seus planos esperava conquistar enfim o reinado de Asgard, Norman decidiu criar um incidente parecido com o de Stamford (evento que deflagrou a Lei de Registro Super-Humano e a Guerra Civil), e colocou o ingênuo Volstagg, um dos três guerreiros aliados de Thor, em rota de colisão com supervilões a serviço do rei do crime Capuz. Como consequência, Volstagg acabou destruindo um estádio de futebol, o que deu plenos poderes para que Osborn em sua identidade de Patriota de Ferro e seus Vingadores, criassem um cerco ao redor de Asgard, com a intenção de expulsar os deuses e sua cidade reluzente da Terra.

Com a desculpa de que os deuses eram uma ameaça direta à humanidade, Osborn declarou guerra à Asgard, cidade que paira no alto de Oklahoma, e homens e deuses começaram duelar em nome de sua honra, manipulados por duas das mentes mais maquiavélicas do universo Marvel: Norman Osborn e Loki.



10- Thor é derrotado por Osborn

Após ser enganado por Loki (sempre ele!!), Thor assassinou seu próprio avó Bor fazendo assim, com que ele fosse banido de Asgard por seu irmão Balder, que então proclamou-se rei.

Ao saber que o Patriota de Ferro e os Vingadores Sombrios estavam atacando Asgard, enquanto sob a identidade do médico Donald Blake ele cuidava do combalido Tony Stark, Thor foi obrigado a intervir, partindo para a ação, deixando Stark aos cuidados de Maria Hill.

A cena em que Osborn vê ao longe um relâmpago percebendo que Thor está chegando é muito boa, sem falar no cagaço dos seus Vingadores quando começam a realizar o que está perto de acontecer. “Cara! Nós somos uns merdas e vamos ter que enfrentar o Thor!!”.


Logo que chega à Asgard, Thor é abatido pelo Sentinela, é quando o leitor solta aquele “Puta que pariu! Agora eu quero ver!!”. Osborn tem um Super-Homem como cão de guarda particular, e isso faz com ele assuma o risco que for para atingir seus objetivos, inclusive ir contra as ordens da Casa Branca.

A luta entre Thor e Sentinela não passa de dois quadros, e é quando Osborn ordena a seus Vingadores e aos aliados do Capuz um ataque em massa ao Deus do Trovão que é... Derrotado!!

Brian Michael Bendis é um excelente escritor, mas quando ele decide “embuchificar” um personagem ele consegue com a mesma maestria em que ele enfodece. O Thor leva uma escovada de uns personagens mequetrefes à serviço do Osborn, e isso sem nem reagir, o que me faz duvidar as vezes de seu nível de poder.

Ficou feio pro loirão.


9- Capitão América lidera a resistência

Durante os últimos meses fiz diversos reviews aqui sobre as histórias do Capitão América escritas por Ed Brubaker, e já expressei meu descontentamento com a volta de Steve Rogers e a forma como a história foi contada, mas uma coisa deve ser dita: A decadência pelo qual o universo Marvel começou a passar após a morte do personagem, e o modo como os escritores criaram uma ligação em suas histórias, dando poderes a Norman Osborn, fazendo com que os Vingadores (os liderados por Luke Cage) se tornassem foragidos da lei e como o Reinado Sombrio fora instaurado para no final trazer a esperança de volta na imagem de Steve Rogers, o verdadeiro Capitão América, foi jogada de mestre.

A mensagem passada é que um mundo sem o Capitão América e todos os seus valores e o símbolo que ele representava, mergulhou literalmente no inferno, e somente sua volta poderia trazer a esperança. Achei uma sacada de gênio dar essa importância ao personagem.

Steve Rogers voltou ao mundo dos vivos apenas para vê-lo entregue nas mãos de uns dos maiores vilões da época moderna. Seus amigos, aqueles que antes de sua morte ele nomeou como os seus Vingadores, estavam vivendo escondidos, sendo caçados por seus inimigos, e ele não podia imaginar como as coisas podiam ter denegrido a tal ponto.

Em sua loucura, Osborn ordenou que a imprensa cobrisse o cerco à Asgard, jogando a opinião pública contra os deuses e a cidade dourada, e tão logo viu seu companheiro de longa data ser massacrado ao vivo pela TV, Rogers tomou uma decisão: Precisava reunir seus amigos contra aquela insanidade. O discurso do cara mostra porque os demais heróis precisavam dele para inspirá-los:


Eu votaria no Capitão pra Presidente!

8- A derradeira batalha do deus da guerra

Ares o deus mitológico da guerra era um antigo aliado dos deuses nórdicos de Asgard, guardando um profundo respeito por Thor, seu pai Odin e a todos seus semelhantes.

Ares foi levado a acreditar por Osborn que Loki estava governando Asgard, e que ele havia desencadeado toda aquela crise envolvendo a presença de Volstagg no estádio de futebol em Chicago. Desta forma, como um general (afinal ele é o deus da Guerra) Ares liderou as tropas de Osborn (Vingadores Sombrios, aliados do Capuz, etc.) rumo à Asgard, deixando claro que o que eles iriam enfrentar não seriam reles adversários, e sim guerreiros natos.

Uma vez no campo de batalha, enfrentando o próprio rei de Asgard Balder, Ares descobre que foi enganado por Osborn e decide se voltar contra ele. Felizmente para o vilão, o Sentinela está mais uma vez montando guarda, e não permite que Ares se aproxime, iniciando um combate mortal com o deus da guerra.

O Sentinela, incontrolável, acaba com a luta de modo aterrador:

O nível de “sangue no zóio” atinge o mais alto grau nesse quadro chocante. O que fazer contra um Super-Homem totalmente ensandecido?

7- Thor X Sentinela

Depois de ser surrado, Thor é resgatado por Maria Hill que o leva em segurança para um bairro de Oklahoma.

Osborn ordena que Daken, o filho do Wolverine rastreie o deus do trovão, o que ele faz com sucesso até ser torrado vivo por um relâmpago evocado pelo Mjolnir.

Devo admitir que vibrei quando vi essa cena! Hehehehe!

Uma vez localizado o esconderijo temporário de Thor, Osborn manda seu cão de guarda para confrontá-lo e a batalha entre os dois mais poderosos personagens da Marvel, embora tenha ficado aquém do que todo mundo esperava, ainda assim foi épico.

O Sentinela mostra que não detém mais qualquer resquício de humanidade (tirado com a morte de sua esposa pelo Mercenário), e confronta Thor pronto a destruí-lo, fato que até certo ponto imaginamos ser possível.

Se bem que o Thor perdeu toda a moral depois que tomou um esculacho do Treinador!

Em seu ápice, quando parece que a luta será decidida para um dos lados, ela é interrompida, e o Sentinela abandona Thor para seguir outra ordem de Norman Osborn.

6- O fim do Reinado Sombrio

Influenciado por Loki o tempo todo, Norman Osborn em sua loucura, em nenhum momento pensou o quanto havia ido longe quando decidiu enfrentar deuses numa batalha de vida ou morte que seria televisionada para todo o mundo.

Quando o destino da batalha mudou completamente com a chegada do Capitão América e os verdadeiros Vingadores, Osborn enfim percebeu que não podia vencer, mesmo com a ajuda dos capangas do Capuz que estavam “overpowerizados” pelas Pedras Nornes em poder do vilão encapuzado.

Enquanto enfrentava Steve Rogers em pessoa, Osborn começou a perceber falhas nos sistemas de sua armadura, que nada mais era do que uma cópia da tecnologia de Tony Stark, e então sua derrocada teve início quando ele percebeu que era o próprio Stark quem estava interferindo em seu sistema, tornando seu traje inativo.

O Homem de Ferro ressurge em sua armadura mais clássica em meio ao Cerco e retoma o controle enquanto o Capitão América declara a derrota final de Osborn, que sem seu traje metálico se mostra ainda influenciado por seu alter-ego, o Duende Verde.

A resposta do Homem Aranha à loucura de Osborn é mais eloquente do que qualquer palavra:

Quando se vê sem saída, Osborn ordena que o Sentinela destrua Asgard, não deixando que os heróis vençam.




5 - A queda de Asgard

Devo salientar que à princípio os desenhos de Olivier Coipel me incomodavam lá na época do lançamento de Dinastia M, minissérie desenhada completamente pelo artista. Porém, de lá pra cá, eu me afeiçoei muito a seu traço estiloso e atualmente sou um grande fã do cara.

A grandiosidade com que ele consegue desenhar Asgard é de tirar o chapéu, sem falar na profundidade que o cara consegue imprimir nas cenas de batalha aérea. Li pela primeira vez O Cerco meio que apressadamente, mas da segunda vez que coloquei as mãos nesse material pude conferir com mais calma quadro-a-quadro e não há o que se reclamar da arte de Coipel.

A cena em que o Sentinela atravessa Asgard, destruindo suas fundações e derrubando a cidade dourada é de encher os olhos. Em primeiro lugar vemos o quão poderoso é o homem que detém o poder de um milhão de sóis explodindo, e em segundo o quão é grandioso o efeito de ver uma cidade inteira se despedaçando ante seu poder.


4 - Sentinela se transforma em Vácuo

Desde o princípio, quando Michael Bendis introduziu o Sentinela no universo Marvel a história do personagem era um tanto quanto confusa, em especial na parte que dizia respeito ao arqui-inimigo do herói, o vilão Vácuo. Pra se ter uma ideia do absurdo, ele e seu inimigo sempre foram na verdade a mesma pessoa, e isso fazia com que meus miolos esquentassem pensando no assunto.

Se o Vácuo era a grande arma secreta de Osborn para forçar caras como Namor, Doutor Destino e Emma Frost a compactuarem com seus planos de conquista, conquista, CONQUISTA, então como é que eles aparecem relativamente separados na edição especial de O Cerco: Prólogo??

Seja como for, o Vácuo, que antes nas histórias dos Vingadores não era nada mais do que uma “sombrinha” agora mais parece um dos avatares dos elementos das tropas Lanternas da DC, e devo acrescentar que nessa forma ele ficou muito mais ameaçador.

Toda a humanidade de Bob Reynolds se esvai quando ele dá lugar ao Vácuo e é nesse momento que Loki percebe que, assim como Norman Osborn, ele foi longe demais com seus planos, e que Vácuo tem o poder necessário para destruir o mundo todo, inclusive o que restara de Asgard.

Seja como for, sempre achei o Sentinela um personagem cujo potencial me pareceu desperdiçado. Todo aquele lance de esquizofrenia, agorafobia e afins limitavam o personagem (tal qual a kryptonita para o Azulão da DC), e o deixavam meio insano desnecessariamente. Aparentemente a Marvel queria ter seu próprio Superman, mas depois percebeu que um deus como ele não teria espaço no universo da editora, e resolveram torna-lo um vilão para poder removê-lo da cronologia sem grandes alardes.


Bom, já é melhor do que reboots e socos na realidade, né?



3 - O sacrifício de Loki

Sem saída, vendo que os grandes campeões da Terra não eram páreo para o poder sem precedentes do Vácuo, Loki decidiu tomar de volta o poder das Pedras Nornes dadas ao Capuz e “overpowerizou” os super-heróis, dando a eles uma chance de enfrentar o monstro de igual pra igual.

Até mesmo o deus da trapaça conseguiu perceber que o guarda-costas de Norman Osborn era poderoso demais para que seu irmão Thor pudesse deter, e conseguiu um tempo extra a ele e a seus aliados.

Infelizmente para Loki, esse foi seu último ato de redenção, e quando Vácuo percebeu de onde vinha a fonte daqueles novos poderes dos heróis, ele resolveu a situação do seu modo: destruindo Loki.



2 - O Homem de Ferro de volta à ação

Nada mais parecia ser capaz de deter o Vácuo. Como medida desesperada Tony Stark decidiu assumir o controle do antigo porta-aviões da SHIELD, agora usado como a base aérea do MARTELO, e transformá-lo num míssil. Enquanto Thor tentava deter a criatura, Stark lançou o porta-aviões sobre o Vácuo e a medida extrema surtiu efeito até certo ponto, fazendo com que a consciência de Bob Reynolds voltasse por alguns instantes e ele percebesse tudo que havia causado em sua loucura. Em desespero, Bob pediu que Thor o matasse antes que fosse tarde demais e o Vácuo assumisse o controle novamente.



1 - O apagão dos mil sóis

Como previsto, o Vácuo volta a dar as cartas, e tudo parece perdido para os heróis dessa vez. Cabe a Thor, com seu imenso poder do Deus do Trovão acabar de vez com a ameaça do monstro, e quando ele descarrega um prodigioso relâmpago sobre a criatura, o deus nórdico enfim encerra a épica batalha, salvando a todos ao matar Bob Reynolds, que termina seus dias incinerado e logo depois lançado ao sol.

Me parece meio forçado que Thor tivesse, afinal, poder para destruir o Vácuo, sendo que antes disso estava levando a maior surra do monstro. Eu li a minissérie inteira na esperança de um confronto grandioso entre Thor e o Sentinela, e a todo o momento em que eles se enfrentavam sempre me pareceu que o herói dourado levava significativa vantagem sobre o Deus do Trovão. O grau dos poderes do Sentinela nunca foi devidamente explicado e até hoje eu não sei o que diabos quer dizer possuir o poder de mil (mil, um milhão... enfim) sóis explodindo!!

Como Sentinela ele podia voar, descarregar rajadas de energia (acho), ser invulnerável até certo ponto e possuir super-força, mas, além disso, nunca o vi fazer nada, exceto se transformar num super-demônio com todo tipo de poderes. Como um cara tão mothafucka podia ser incinerado por um relâmpago? Mesmo um baita de um relâmpago como o que o Thor evocou?

Na maximizada série Hulk contra o Mundo, o Sentinela sai no braço contra o Hulk, e o herói maluco é derrotado pelo Golias Esmeralda na base da pancada. Na história, Banner vence Reynolds logo depois que ambos terminam exauridos em suas identidades civis, e naquele momento ele não me pareceu tão poderoso, embora os dois tenham destruído metade da cidade enquanto tentavam se matar.

O Homem de Ferro já venceu o Sentinela usando Clock, o androide que serve como um computador vivo para a fortaleza do herói (aquela que ficava sobre a Torre dos Vingadores) e sua agorafobia, e até mesmo o Justiceiro conseguiu despistar o cara usando apenas explosivos e armas de fogo.

Seja como for, fica bem claro que esse “fim” do personagem não é definitivo, uma vez que seus poderes são originados do sol (Superman-an-an-an!) e que ele (pasmem!) foi atirado no sol, exatamente como o próprio Sentinela já havia feito com o Vácuo (é isso mesmo. E nem tente entender!). Agora cabe ao próximo escritor que trabalhar com o personagem explicar toda essa zona, e dar um sentido a essa maluquice criada por Brian Michael Bendis e o próprio criador do Sentinela, Paul Jenkis.

O Cerco se encerrou com a derrota de Norman Osborn e o restabelecimento do conceito heroico. Steve Rogers agora é o comandante da SHIELD, e uma nova Era Heroica brilha no horizonte da Marvel... Até a próxima mega-saga, claro, que mudará todo o universo e mimimimi.

NAMASTE!

4 comentários:

  1. Parabéns pelo post. Muito boa sua percepção quanto a saga e principalmente aos melhores momentos.

    Abraços...

    ResponderExcluir
  2. Muito boa a postagem. Eu queria ter acompanhado "O Cerco.", mas não tive essa oportunidade =\

    Mas na batalha do sentinela contra o Hulk, o Hulk estava usando mais poder do que jamais teve!
    Ele espancou o Raio Negro(2° homem mais forte do sistema solar), que depois seria descoberto como um tipo de "Super-Skrull". Além de andar pelo planeta arrebentando a cara de cada herói que se colocou no caminho do Verdão!

    O problema na batalha, foi que a escala de destruição que eles causaram, não foi proporcional ao poder que eles demonstravam ter, mas isso é culpa do roteiro ou desenhista...

    ResponderExcluir
  3. Excelente post! Gosto muito do Cerco. Quanto as suas dúvidas sobre o nível de poder do Thor e sobre essas "contradições", eu tenho uma teoria: Quando ele é derrotado pela galera do Osborn, por exemplo, ele está em Asgard. Se ele realmente fosse descarregar esse poder todo como faz no final, ele poderia acabar destruindo Asgard. Já no final, não tem mais nada a perder.

    ResponderExcluir
  4. Excelente post mas, já foi contado que Thor tem medo de usar todo o seu poder, pois o martelo é só um condutor para sua energia, fazendo que ele só use um terço de seu poder pois em seu máximo galactus,beyonder,thanos são subjugados facilmente

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...